Ensino de Ciências da Saúde e do Ambiente

O Mestrado Profissional em Ensino de Ciências da Saúde e do Ambiente (PROCISA) é um curso de Pós-Graduação Stricto Sensu recomendado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) e que visa o desenvolvimento de estudos ligados a diferentes áreas do conhecimento, que tenham como objeto a reflexão sobre a construção do conhecimento, em espaços formais e não-formais de ensino e aprendizagem, e que proporcionem não apenas o aperfeiçoamento profissional de seus mestrandos, mas, também, a apresentação de questionamentos e soluções mais abrangentes e ligadas às atuais demandas da sociedade. Nesse sentido, o curso visa discutir as práticas de ressignificação do conhecimento, tanto aquelas relacionadas às Ciências da Saúde, bem como à ampla e complexa definição do conceito de Ambiente, desde o ponto de vista ecológico, até aquele referente à sua construção humana, sob diferentes entendimentos (políticos, históricos, geográficos, sociológicos, culturais e filosóficos).

Linhas de pesquisa:
1) Conceitos, teorias e métodos de ensino-aprendizagem de ciências da saúde e do ambiente
2) Políticas públicas integradas e ensino de ciências da saúde e do ambiente

O Mestrado Profissional em Ensino de Ciências da Saúde e do Ambiente tem sua proposta calcada nos pilares da área de Ensino da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal em Nível Superior (CAPES), especialmente no que tange ao seu caráter multidisciplinar, constituindo-se como lócus de encontro, compartilhamento e produção de “conhecimento pedagógico do conteúdo”, em toda sua diversidade epistemológica e metodológica. A proposta se apresenta como possibilidade de diálogo ativo entre diferentes áreas do conhecimento, quer seja das chamadas Ciências da Saúde ou aquelas que lidam diretamente com os polissêmicos ditames do Ambiente, possibilitando a construção de conhecimentos e práticas pedagógicas, nos espaços formais (Escolas e Instituições de Ensino Superior) ou informais (Unidades Básicas de Saúde, ONG’s, entre outras) de ensino e aprendizagem, que proporcionem não apenas o aperfeiçoamento profissional de seus mestrandos e docentes, mas a apresentação de questões e soluções mais abrangentes e organicamente ligadas às demandas de nossa sociedade.

De um lado, tal proposta objetiva ainda colaborar para o contínuo processo de universalização e aprimoramento da Educação Básica, bem como para a expansão da Educação Superior, cumprindo o estabelecido na Lei de Diretrizes e Bases da Educação (BRASIL, 1997) no que se refere à formação e à capacitação de profissionais de ensino, além do desenvolvimento de pesquisas pedagógicas e o desenvolvimento de atividades (de extensão e pesquisa) que aproximem a Academia do chão de Escola. Em outra via, se apresenta como possibilidade de colaborar para o contínuo processo de universalização do acesso à saúde através do aperfeiçoamento dos profissionais da área em atuação no Sistema Único de Saúde (SUS), tal conforme preconiza a Constituição Federal de 1988 (BRASIL, 1988) e na Lei Orgânica da Saúde (BRASIL, 1990).

No que se refere às Ciências da Saúde, como aludido acima, o programa se apresentará como oportunidade de oferecer à miríade de profissionais desta área a possibilidade de ampliarem e aperfeiçoarem sua formação, especialmente no que diz respeito ao atendimento de demandas sociais e ações de educação não-formais desenvolvidas no SUS, levando em conta a dimensão biopsicossocial dos conceitos de saúde e doença (MENDES; VIANNA, 2001) bem como a importância de projetos de Educação Permanente em Saúde (BRASIL, 2009).

Já no que tange às multiplicidades abarcadas no conceito de Ambiente, é necessário destacar que a grande amplitude que recebeu nas últimas décadas, deixando de ser associado exclusivamente às questões das Ciências Naturais, especialmente em relação às pesquisas dos sistemas naturais. O conceito de Ambiente aqui tratado se apresenta como fruto de um processo de amplificação para além do sentido ecológico do termo, tendo abarcado a interferência humana na natureza e suas consequências como ingrediente indispensável, ingrediente este responsável direto e/ou indireto pelo desencadeamento de uma miríade de processos sociais e de saúde/doença. Dessa forma, trata-se de uma concepção biossociocultural do conceito, entendendo-o “em sua totalidade, considerando a interdependência entre o meio natural, o socioeconômico e o cultural, sob o enfoque da sustentabilidade” (BRASIL, 1999). Tal perspectiva permite, portanto, que diferentes áreas possam se embrenhar nas discussões atinentes ao campo, desde as Ciências da Saúde àquelas que compõem as Ciências Humanas e Sociais, tais como a Geografia, a História, a Antropologia, a Sociologia, entre outras.

1) Conceitos, teorias e métodos de ensino-aprendizagem de ciências da saúde e do ambiente

A linha de pesquisa abrange o desenvolvimento de investigações centradas nos conceitos, nas teorias e nos métodos de ensino-aprendizagem das ciências da saúde e do ambiente – em articulação com as ciências humanas, sociais, exatas e da natureza –, propostos para ações educativas nos espaços formais e não-formais em diferentes instituições. Aborda questões relativas à construção do conhecimento, à relação teoria e prática, às práticas profissionais em diferentes contextos educativos, às tecnologias de informação e comunicação, à relação entre educação básica e superior. A formação do professor, tema inerente às questões de interesse do curso, também é objeto de estudo desta linha, em seus aspectos históricos, políticos, sociais, culturais e ambientais.

2) Políticas públicas integradas e ensino de ciências da saúde e do ambiente

O objeto de estudo desta linha de pesquisa abrange as políticas públicas integradas, enfocando especialmente o campo do ensino das ciências da saúde e do ambiente, em articulação com as ciências humanas, sociais, exatas e da natureza. Investiga temas relativos tanto às ações do Estado brasileiro quanto das organizações e movimentos sociais com a educação, a saúde e o ambiente, tendo em vista os processos de formulação, implementação, monitoramento e avaliação das políticas públicas (PP). Busca compreender as relações complexas entre os diferentes atores e contribuir para a construção de instrumentos de planejamento e gestão das PPs.

COORDENAÇÃO

Luiz Gustavo Santos Cota

Coordenador

Currículo Lattes

Lúcia Meirelles Lobão Protti

Vice-Coordenadora

Currículo Lattes

CORPO DOCENTE

CÓDIGO UNIDADE DE ENSINO CH PROFESSOR FORMAÇÃO TITULAÇÃO REGIME DE TRABALHO LINK LATES
Linha 1
Bárbara Lima Giardini
Bruna Soares de Souza Lima Rodrigues
Lindisley Ferreira Gomides
Lorena Souza e Silva
Lúcia Meirelles Lobão Protti
Luiz Gustavo Santos Cota
Marli do Carmo Cupertino
Rodrigo Siqueira Batista
Sávio Lana Siqueira
Leonardo de Paiva Barbosa
José Costa Júnior
Pedagogia
Biologia
Farmácia
Ciências Biológicas
Ciências Biológicas
História
Medicina Veterinária
Medicina / Filosofia
Medicina
Ciências Biológicas
Filosofia
Doutora
Doutora
Doutora
Doutora
Doutora
Doutor
Doutora
Doutor
Doutor
Doutor
Doutor
Integral
Integral
Integral
Integral
Integral
Integral
Integral
Parcial
Parcial
LATTES
LATTES
LATTES
LATTES
LATTES
LATTES
LATTES
LATTES
LATTES
LATTES
LATTES
Linha 2
Bárbara Lima Giardini
Fernanda Maria Dias de Araújo Lima
Lindisley Ferreira Gomides
Luiz Gustavo Santos Cota
José Costa Júnior
Pollyanna Álvaro Spósito
Rodrigo Siqueira Batista
Tânia Toledo de Oliveira
Pedagogia
Farmácia
História
Filosofia
Farmácia
Medicina / Filosofia
Bioquímica
Doutora
Doutora
Doutora
Doutor
Doutor
Doutora
Doutor
Doutora
Integral
Integral
Integral
Integral
Parcial
Parcial
LATTES
LATTES
LATTES
LATTES
LATTES
LATTES
LATTES
LATTES
TOTAL 0

MATRIZ CURRICULAR

CÓDIGOS UNIDADE DE ENSINO C.H.
Linha 1
Linha 2
TOTAL 0

HORÁRIO DE AULA

Não há horário disponível

Notícias relacionadas ao curso

Ainda não há notícias cadastradas!

VER MAIS NOTÍCIAS
VER TODOS

Não há depoimentos deste curso!

Fale com o Cordenador deste curso.

Ir para o topo