Aspectos do Planejamento Tributário: Uma Análise das Legislações do Lucro Real e do Lucro Presumido – FADIP – Faculdade Dinâmica

Aspectos do Planejamento Tributário: Uma Análise das Legislações do Lucro Real e do Lucro Presumido

Anais | III Jornada de Iniciação à Pesquisa | Ciências Contábeis

Tomaz C. Pataro
Marina Oliveira Guimarães (Orientadora)

INTRODUÇÃO

As empresas brasileiras possuem atualmente uma necessidade de economizar no pagamento de tributos. É através de análises de simulações realizadas entre regimes tributários que a empresa fará a opção de permanência ou mudança de regime tributário, por processos de tomada de decisões, visando um melhor desempenho empresarial.

A comparação de regimes tributários será o tema abordado neste artigo. Realizou-se estudo sobre o Lucro Real e Lucro Presumido e sobre os tributos federais incidentes sobre a receita bruta, quais sejam, o Imposto de Renda Pessoa Jurídica, a Contribuição Social sobre o Lucro Líquido, o Programa de Integração Social e a Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social. O objetivo desta pesquisa é o desenvolvimento de um estudo que propicie uma comparação de aspectos referentes aos tributos incidentes sobre a receita bruta, apurados mensalmente e trimestralmente.

REFERENCIAL TEÓRICO

Os regimes tributários federais são regulamentados pela Receita Federal do Brasil (RFB), que, considera diferentes aspectos para o estabelecimento das normas referentes aos tributos para os três regimes previstos pela atual legislação tributária. Os regimes tributários federais são o Simples Nacional, o Lucro Real e o Lucro Presumido. Destes três regimes, serão objetos desse estudo, o Lucro Real e o Lucro Presumido, pois são os regimes tributários que possuem uma alteração referente aos tributos incidentes sobre a receita bruta, considerando-se aspectos como bases de cálculo e alíquotas.

Lucro Presumido é o regime tributário que possui alíquotas de presunção do lucro empresarial, estas alíquotas são incidentes sobre a receita bruta da empresa, considerando-se o resultado presumido como a base de cálculo para apuração trimestral dos tributos Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (C. S. L. L.) e o Imposto de Renda Pessoa Jurídica (I. R. P. J.).

Diferente do Lucro Presumido que presume o lucro para efeitos fiscais, com base na receita bruta da empresa, o Lucro Real é um regime tributário que o lucro encontrado é o resultado de operações que a Receita Federal define para a determinação do lucro em atendimento a legislação fiscal.

METODOLOGIA

Este artigo é classificado, de acordo com seus objetivos como pesquisa exploratória, que, para GIL (p. 27, 2010) “[…] têm como propósito proporcionar maior familiaridade com o problema […]”, neste trabalho, o estudo sobre a legislação tributária e os conceitos do Planejamento Tributário. Como explica GIL (p. 27, 2010): “[…] é possível identificar pesquisas bibliográficas, estudos de caso e mesmo levantamentos de campo que podem ser considerados estudos exploratórios.”.

A metodologia de pesquisa deste trabalho foi a pesquisa bibliográfica, pois foi necessária uma pesquisa da legislação do Lucro Real e do Lucro Presumido. A pesquisa bibliográfica é definida por GIL (p. 29, 2010) como uma pesquisa “[…] elaborada com base em material já publicado […] como livros, revistas, jornais, teses, dissertações […] bem como o material disponibilizado pela Internet”.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

De acordo com os aspectos referentes aos regimes tributários e ao Planejamento Tributário supracitados, infere-se que é possível a avaliação das possibilidades de redução da carga tributária das empresas, caso haja compatibilidade entre estas e o(s) regime(s) avaliados.

Deste modo, infere-se sobre a necessidade de comparações entre os regimes tributários Lucro Real e Lucro Presumido, para que seja identificado o regime que possibilitará a economia no pagamento dos tributos incidentes sobre a receita bruta, analisados por este artigo, respeitando-se a legislação tributária que aborda o assunto. Assim, as empresas possuem a possibilidade de economia de tributos, após a realização de um Planejamento Tributário.

REFERÊNCIAS

BRASIL. Lei 5.172 de 25 de outubro de 1966. Código Tributário Nacional. Brasília: [Presidência da República], 1966.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Editora Atlas, 2010.

MACHADO, Hugo de Brito. Curso de direito tributário. 28. ed. São Paulo: Malheiros Editores, 2007.

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support
Ir para o topo